A MENTIRA E A VERDADE

A mentira caminha tropeçando nos calhaus que vai colocando pela estrada.

          A verdade passa-lhe à frente em correria sem impedimento.

          A mentira é como a névoa que se dilui ante a claridade da razão verdadeira que a devora.

          A bolha de sabão flutuante reflete a realidade só na aparência, e se arrebenta logo mais, demonstrando a sua beleza enganosa.

          O espelho recolhe a imagem que defronta, qual lago tranquilo captando nas suas águas a pintura da paisagem que o cerca.

          Quando a mentira se instala, ata um peso insuportável ao pescoço da sua vítima, vergando-a, sem cessar, num desgosto que se disfarça ate à morte.

A verdade rompe todos os grilhões e dá força, inclusive, para a renúncia e o perdão que perfuram o balão inflado das ideias e manobras mentirosas.

          Com a verdade o homem se encontra a si mesmo, ao seu irmão e ao seu Criador, na estrutura da própia conduta, e a todos perde na mentira perdendo-se também.

 

Livro:  Pássaros Livres

Divaldo Pereira Franco, pelo Espírito Rabindranath Tagore

LEAL – Livraria Espírita Alvorada Editora

 

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!