Reflexão sobre a existência terrena

"Esta existência terrena se assemelha a uma viagem...
A primeira estação, a do embarque, é a mesma para todos, e se chama: Nascimento.
Quanto tempo durará essa viagem, qual a duração de uma vida, quem o saberá...?
Da mesma forma que bela, breve é a vida...
A última estação, a do desembarque, é a mesma para todos, e se chama: Eternidade...
O ingresso na Eternidade é um ato solitário...
Os jornais do mundo continuarão repletos de notícias, carros continuarão a cruzar avenidas e estradas, mas, para aqueles que adentra a Eternidade, já não terão a menor importância...
Desta existência terrena levaremos apenas aquilo que trazemos no coração.
Todo o resto não nos pertence de fato, sendo nos confiado por um breve intervalo de tempo...
Na hora da morte, teremos plena consciência do real valor de cada ato que praticamos...
Colhemos aquilo que plantamos, ações tem consequências...
O corpo físico se assemelha a uma gaiola, e a alma, a uma ave que nela habita.
Existe a matéria...e existe o espírito...
A matéria é limitada pelas leis do tempo e do espaço, pelo visível pelo findável, pelo finito...
O espírito pertence a um mundo sem fronteiras ou limitações, um mundo onde as aparências se desmancham , e as essências reveladas...
Durante um breve lapso de tempo, espírito e matéria dividem o mesmo palco, findo tal prazo, cada qual segue seu rumo...
O corpo material, o necessário abrigo do espírito, recolhe-se ao pó...enquanto que o espírito segue sua jornada pelos mundos invisíveis, eternos, celestiais.
Purificar o coração, lapidar a alma, ser solidário, generoso, atento, desperto de modo a estar apto a deixar o palco da vida terrena, quando a hora final chegar, com a sensação de dever cumprido, com uma consciência tranquila...
Pense nisso!
Paz e Luz!

(desconheço autoria)

 

 

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!