Assemelhar-se às crianças


/Apresentaram a Jesus então umas criancinhas, a fim de que ele as
tocasse. E como seus discípulos repelissem com palavras rudes
aqueles que as apresentavam, Jesus vendo isso repreendeu-os e lhes
disse:/
/“//Deixai vir a mim as criancinhas, não as impeçais; poiso reino
dos céus é para aqueles que se lhes assemelham./
/Eu vos digo, em verdade, que todo aquele que não receber o reino de
Deus como uma criança, nele não entrará.”/
/E tendo-as abraçado, abençoou-as impondo-lhes as mãos./
* * *
a passagem narrada por Marcos noseu Evangelho é de profunda beleza,
e apresenta um dos pontos altos da lição do Cristo.
Por que Jesus promete o reino dos céus para aqueles que se
assemelharem a criancinhas?
Não identificava Ele, ali, naqueles corpos infantis, Espíritos
reencarnados, voltando ao palco terrestre com seus desafios, suas
mazelas, suas lutas, assim como qualquer outro ser?
Obviamente que sim. Então, o que Jesus quis dizer com isso?
O Mestre educador falava do ser /criança/ em si, do período da
infância, dessa época em que todos somos cândidos, humildes e
moldáveis.
Ele falava da pureza dos pequenos, que ainda não tiveram tempo de se
submeter aos vícios, que ainda não aprenderam a malícia nem a
complexidade exagerada do comportamento adulto.
Simplicidade. A vida da criança é simples, e Jesus estava ali
exaltando a simplicidade na vida como mola propulsora para nos
lançar a esse estado íntimo de felicidade, de reino dos céus no
coração.
A criança se contenta com tão pouco... Valoriza as pequenas coisas,
não tem vaidades, não é dissimulada e nem preconceituosa.
Assemelhar-se às crianças é também enxergar o mundo com alegria,
com deslumbramento, sem ressalvas, sem mágoas...
É ser mais leve. Sim, as crianças pesam muito menos do que os
adultos.
É ser mais leve nas atitudes, nas preocupações, no apego excessivo
às coisas.
A ideia de /criança/ de Jesus é o oposto da ideia de /velho/, não
no sentido de idoso, mas daquele que não modifica suas opiniões,
que não altera seu comportamento, que não cede por nada neste
mundo.
/Velho/ é quem se deixou amargar pelo caminho. Criança é quem
respira alegria e dá novas chances a si mesmo e aos outros todos os
dias.
* * *
/Minha vista cansada... Meu cenho triste.../
/Colhi pela calçada, raio de sol que persiste/
/Saudade da criança que um dia fui,/
/Vontade, ânsia, de um rio que não mais flui./
/Haverá como retornar?/
/É possível ser menino e voltar a despertar?/
/Abro a porta do futuro e encontro o rosto lindo de meu filho./
/Deus o fez parecer comigo para que nunca esquecesse de meu menino
eterno./
/Quero ser menino contigo, meu filho! Menino que quer aprender, que
quer escutar, que quer se deslumbrar todos os dias./
/Quero ser menino contigo e viajar pela Terra mais uma vez, como se
fosse a primeira, pois as crianças sempre assistem o que gostam
diversas vezes, com a alegria e a emoção da primeira vez./

/Redação do Momento Espírita, com base no

 /Evangelho de Marcos/, cap. 10, versículos 13 a 16

e no poema /Quero ser menino contigo/, de Andrey Cechelero.

 

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!