SAUDADES DA MÃE

MINHA MÃE

 

Ah, minha Mãe!... Recordo-te comigo...

A saudade em meu peito se extravasa...

Eras a paz de Deus em nossa casa,

O nosso doce e abençoado abrigo...

 

Ante a menor presença de perigo,

No amor que o coração de Mãe abrasa,

Abrias para mim a sublime asa

Dos teus braços, o ninho que bendigo...

 

Na visão que ao passado me arrebata,

Revejo-te, cabelos cor-de-prata,

Sorrindo-me entre as rosas do jardim...

 

Ah, minha Mãe!... Agora, reconheço

Que o que me deste à vida não tem preço.

Pois nunca mais fui tão feliz assim!...

 

Eurícledes Formiga

 

Livro:  Jardim de Estrelas

          Carlos A. Baccelli, por Espíritos Diversos

          Casa Editora Espírita Pierre-Paul Didier

 

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!