AS CRIANÇAS

Não conhecemos o mistério que as crianças ocultam em sua inocência; não sabemos o que elas são, nem o que foram, nem o que serão; e, no entanto as amamos e acariciamos como se fossem uma parte de nós mesmos, de tal maneira que “o amor de uma mãe por seus filhos é reputado como o maior amor que um ser possa ter por outros seres”. 

 

As crianças são espíritos que Deus envia a novas existências, para adquirem virtudes e eliminar defeitos, e todas recebem uma aparência de inocentes, como imagem do que elas deveriam ser. Mas não é somente por elas que Deus lhe dá esse aspecto, é também e sobre tudo por seus pais, que recebendo essa fragilidade infantil, no seio familiar, naturalmente sentem necessidade em dar o amor. E esse amor seria extraordinariamente enfraquecido se as crianças já demonstrassem um caráter impertinente e rude, ao contrário, sendo dóceis e ingênuas, naturalmente recebem toda afeição e são envolvidas nos mais delicados cuidados. 

 

Mas, quando as crianças não mais necessitam dessa proteção, dessa assistência que lhes foi dispensada durante quinze a vinte anos, seu caráter real e individual reaparece em toda a sua nudez; e o Espírito se mostra como realmente é; permanecem boas, se eram fundamentalmente boas, mas, se frequentemente se  revoltam, estão demonstrando o que estavam ocultando na primeira infância.
"Devemos perceber que os caminhos de Deus são sempre os melhores, e que, quando se tem o coração puro, é fácil conceber-se a explicação a respeito". 

 

O Espírito da criança que nasce entre nós, pode ter vindo de um mundo em que tenha adquirido hábitos inteiramente diferentes dos nossos. Ela pode trazer dentro de si, paixões tão diversas das que possuímos; inclinações e gostos inteiramente opostos aos nossos; Por isso, se queremos que se incorporem em nosso ambiente, precisamos prepará-las na infância. Aproveitando que nessa fase o Espírito está muito ligado ao plano Espiritual e seu corpo físico e psíquico em formação. 

 

A sabedoria divina agindo sempre a favor dos filhos, proporciona essa face para que a docilidade, ingenuidade e flexibilidade em aprender, possam facilitar a vida dos “filhos” que habitam um corpo infantil e aos pais, para que tenham a facilidade em ensine o “Viver à Vida” sob as Leis Divinas, com limites e sempre reprimindo suas más tendências. O amanhã é construído hoje. 

 

Lembrando sempre, que a maternidade e a paternidade é missão e como tal deve ser cumprida da melhor maneira possível.

 

Deus confia na evolução de cada filho, pois somos Centelhas Divinas.

Fonte: Livro dos Espíritos - 

 

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!